17 de Julho de 2024

Dólar

Euro

Cidades

Jornal Primeira Página > Notícias > Cidades > Capoeira tem batizado e troca de cordas

Capoeira tem batizado e troca de cordas

Talentosos capoeiristas, frutos do trabalho dedicado do prof. Léo, terão oportunidade de demonstrar progresso e receber novas graduações

30/11/2023 07h58 - Atualizado há 8 meses Publicado por: Redação
Capoeira tem batizado e troca de cordas Foto: Agência Brasil/Arquivo

A Prefeitura de Itirapina está convida a todos para prestigiarem o Batizado e Troca de Cordas dos alunos de capoeira do Programa Vida Ativa. Esse evento especial ocorrerá no próximo domingo, dia 3 de dezembro, às 9h, no Anfiteatro Monsenhor José Maria Fructuoso Braga, em Itirapina.

Os talentosos capoeiristas, frutos do trabalho dedicado do professor Léo, terão a oportunidade de demonstrar seu progresso e receber novas graduações.  Será um momento de celebração, superação e valorização do esforço desses jovens e adultos que se dedicam à prática dessa bela arte marcial.

Símbolo de combate e resistência, a capoeira faz parte da identidade cultural brasileira, sendo reconhecida mundialmente como prática que une o esporte e a arte. Julho é mês de celebramos a capoeira enquanto expressão artística brasileira que mistura esporte, luta, filosofia, dança e musicalidade.

Todo mundo já deve ter visto uma roda de capoeira – mesmo que somente em um filme ou numa pintura. A cena é familiar: praticantes se reúnem em um círculo e ao centro dois capoeiristas executam movimentos de ataque e defesa. As demais pessoas cantam e tocam instrumentos. É a música que conduz o ritmo dos jogadores.

Mas, você sabe de onde vem a capoeira e por que ela é um símbolo nacional?

A capoeira surgiu como resposta a violência a qual os escravizados eram submetidos em tempos coloniais e imperiais no Brasil. A partir de golpes e movimentos corporais ágeis, a luta permitia que eles se defendessem das brutais perseguições dos capitães do mato, cuja atribuição era capturar quem havia fugido.

Para não levantarem suspeitas – os senhores de engenho proibiam que praticassem qualquer tipo de esporte – os capoeiristas adaptaram os movimentos e adicionaram elementos coreográficos e musicais, camuflando seu verdadeiro significado. Após a abolição da escravatura, a prática continuou sendo vista como subversiva e apenas em 1937 deixou de ser considerada criminosa pelo Código Penal brasileiro.

Acredita-se que a origem do nome capoeira tenha relação aos locais onde o esporte era praticado: em campos abertos e sem vegetação. Esta técnica era também uma forma de preservar a cultura de origem e desenvolver laços entre os praticantes.

Hoje, a capoeira é considerada umas das maiores manifestações culturais brasileiras e é reconhecida mundialmente como prática que une o esporte e a arte. A música é um dos elementos que distingue esta modalidade de outras lutas. Inclusive, é essencial para que o praticante seja considerado um capoeirista completo. Além dos movimentos corporais, os praticantes devem também saber tocar instrumentos de origem afro-brasileira como o atabaque, o agogô e o berimbau. Este último é o principal dos instrumentos e também o mais famoso e mundialmente associado à capoeira. Existem ainda diferentes maneiras de toques, como o “toque de cavalaria”, que era utilizado para avisar aos capoeiristas que a polícia estava se aproximando.

Recomendamos para você

Comentários

Assinar
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
plugins premium WordPress
0
Queremos sua opinião! Deixe um comentário.x