17 de Julho de 2024

Dólar

Euro

Cidades

Jornal Primeira Página > Notícias > Cidades > Cervone inaugura nova sede

Cervone inaugura nova sede

Líder industrial  alertou o setor industrial para o perigo de algumas mudanças no texto original da reforma tributária

30/06/2024 00h01 - Atualizado há 3 semanas Publicado por: Redação
Cervone inaugura nova sede Foto: O presidente do CIESP, Rafael Cervone: A reforma que tivemos está longe de ser a ideal, mas é relevante e importante, pois melhora muito o ambiente tributário no Brasil” Foto: Marco Rogério

Marco Rogerio

O presidente estadual do CIESP (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo), Rafael Cervone, inaugurou, ao lado do diretor regional, Marcos Henrique dos Santos, e de vários outros líderes empresariais de São Carlos e região, a nova sede da entidade. A inauguração faz parte das comemorações dos 75 anos do CIESP São Carlos,  que já contou com o Jantar da Indústria, realizada no último sábado, 22 de junho e que vai seguir até a sessão solene da Câmara Municipal, que vai entregar, no dia 19 de julho, na sede do CIESP,  o título de “Industrial do Ano” ao empresário Mario Casale.

Durante a solenidade, Cervone e outras lideranças do CIESP, SESI e SENAI divulgaram vários projetos de sucesso voltados para as artes, os esportes e também para a educação. O presidente estadual do CIESP ministrou uma palestra onde falou de reforma tributária, inteligência artificial, taxa de juros e dos demais desafios por que passam a indústria nacional.

Com relação à reforma tributária, Cervone afirmou que a reforma não é a ideal, mas é a que foi possível. Mesmo assim ele alertou o setor industrial para o perigo de algumas mudanças no texto original que ele classificou como “puxadinhos”. “A reforma que tivemos está longe de ser a ideal, mas é relevante e importante, pois melhora muito o ambiente tributário no Brasil. Temos que tomar muito cuidado a partir de agora com a regulamentação dela. A grande questão desde o primeiro dia da reforma é que ela deveria ser mais isonômica. Hoje a indústria paga um terço dos impostos totais do Brasil e representa 11% do PIB. Temos que tomar cuidado com os puxadinhos. Na regulamentação estes puxadinhos podem atrapalhar muito. Os puxadinhos podem elevar o IVA (Imposto sobre Valor Agregado)  para até 30%  enquanto sem os puxadinhos poderá ficar entre 19% e 20%”, reflete ele.

Cervone fez outros comentários sobre a reforma aprovada. “A reforma atende a um desejo de décadas no Brasil”, disse o executivo, reforçando que o sistema em vigor no País é um manicômio tributário. “Quem é empresário sabe disso e quem é consumidor paga.” “É uma reforma que se propõe a simplificar. Não é a ideal, mas a possível. Mas precisamos parar de nos acomodar com o possível e buscar ir mais além, porque nossos concorrentes estão indo além”, reforçou o presidente do CIESP.  De acordo com ele, a reforma simplifica, dá mais previsibilidade e “diminui os puxadinhos, que são um inferno para a economia”.

 

 

Recomendamos para você

Comentários

Assinar
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
plugins premium WordPress
0
Queremos sua opinião! Deixe um comentário.x