16 de Julho de 2024

Dólar

Euro

Cidades

Jornal Primeira Página > Notícias > Cidades > Município fechou 380 postos de trabalho em 2022

Município fechou 380 postos de trabalho em 2022

Itirapina está entre as  9 cidades da Região Central que desempregaram em 2002; somadas, elas fecharam 1.623 postos de trabalho

03/02/2023 06h05 - Atualizado há 1 ano Publicado por: Redação
Município fechou 380 postos de trabalho em 2022 Foto: Divulgação 

Itirapina fechou o ano de 2022 com o fechamento de 380 postos de trabalho com carteira assinada, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego, divulgados na terça-feira e que regula o emprego formal no Brasil, que garante ao trabalhador os direitos previstos na CLT (Consolidação das Leis do Trabalho). Assim, Itirapina está entre os nove municípios da região, em contrapartida, registraram mais demissões do que contratações.

Analândia, Conchal, Itirapina, Nova Europa, Porto Ferreira, Santa Gertrudes, São José do Rio Pardo, Tambaú e Trabiju terminaram o ano com mais demissões do que contratações. Juntos, os nove municípios fecharam 1.623 postos de trabalho, sendo a maioria das demissões em Analândia que teve saldo de 692 empregos a menos que em 2021.

A produção fabril, puxada pela fábrica de automóveis da Honda, a pecuária intensiva, com grande produção de ovos e ainda a administração pública, que inclui duas unidades prisionais no município, são os destaques da economia de Itirapina e também áreas que mais geram riquezas e postos de trabalho no município de Itirapina. Os dados são da Fundação SEADE.

A população ocupada atinge um total de 35,6% do total de habitantes. O PIB per capita do município é de R$ 39.484,06 (2017). As receitas de fontes externas chegam a 62,3%. O IDHM do município é de 0,724. O total de receitas realizadas em 2017 chegou a R$ 69.875,12 com o total de receitas empenhadas no valor de R$ 63.369,75.

Na questão da geração de postos de trabalho, no  item “valor da transformação industrial por setor de atividade” de 2017, divulgação pela fundação SEADE , a opção “veículos automotores, reboques e carrocerias responde por 59% do total de empregos municipais. A produção de móveis aparece em segundo lugar, com 36,9% e a fabricação de máquinas e equipamentos respondem por 36,9% do ainda pequeno polo fabril da cidade.

A Honda representa 11,9% dos empregos formais de Itirapina, que chegam a 6.397 num município com 17.408 moradores. Acima da fabricação de veículos, se destaca em primeiro lugar o segmento de escritório e apoio administrativo, que emprega 17,5% da mão de obra local. Em segundo lugar, se destaca também o setor agropecuário, que emprega 13,2% dos trabalhadores locais. A administração pública, que inclui duas penitenciárias, rede escolar, rede de saúde, Prefeitura e Câmara Municipal, além de Poder Judiciário, também emprega 13,2%  dos itirapinenses. Depois aparecem o comércio varejista, com 5,3% do total de mão de obra local, seguido de transportes (3,6%), fabricação de móveis (3,3%) e fabricação de produtos de madeira (2,1%).

AGROPECUÁRIA

A produção agropecuária, com dados de 2020 destaca os ovos de galinha, que detém 45% da produção total do município. Em seguida vem a cana de açúcar, com 36,56%. A laranja também tem algum destaque, com 11% da produção. O leite vem na sequência com 3,1%. O milho representa 1,5% da produção agrícola, a soja 1,1%, o  café arábica 0,5%, o abacate 0,4%. Demais culturas como limão, tomate, maracujá, mel de abelha, mandioca e feijão representam 1% da safra local.

Quanto ao rebanho, ele composto em sua grande maioria por galináceos, categoria ligada às aves, principalmente frangos de corte e também com produção de ovos. O rebanho bovino é incipiente e chega a apenas 1,7% do total.

 

SALDO POSITIVO

Região Central criou 16.877 empregos em 2022

No balanço da região, segundo o Caged, o saldo foi de 16.877 novos empregos criados. O resultado do ano poderia ter sido melhor, mas dezembro terminou no negativo na geração de empregos na maioria dos municípios. A região fechou o mês com um saldo de 7.195 postos de trabalho fechados.

Araraquara, Araras, Matão, Santa Rita do Passa Quatro e São Carlos foram os municípios que mais empregaram em 2022. Juntos, eles foram responsáveis por mais da metade de vagas abertas no ano (51,2%).

Entre eles se destaca São Carlos, que terminou o ano de 2022 com 3.239 novos empregos criados. O setor de serviços foi o responsável por 57,6% das novas contratações, com a abertura de 1.865 novas vagas. Em seguida, vem o comércio, com 779. O único setor a terminar o ano no negativo foi a indústria, que teve saldo de 82 demissões.

Apesar da boa contratação em São Carlos, o índice diminuiu 37,2% em relação a 2021, quando o município passava pela recuperação da sua economia, após o período restritivo da pandemia de Covid-19.

Araraquara foi o segundo município da região com mais contratações. Neste ano, foram gerados 1.861 novos postos de trabalho formais. Foi o segundo melhor resultado dos últimos oito anos, com destaque para os setores de comércio que empregou 906 pessoas e indústria que contratou 810 funcionários.

Araras, Matão e Santa Rita do Passa Quatro também fecharam o ano com mais de mil empregos novos: Em Matão, o saldo foi de 1.289 novas vagas, puxadas pela agropecuária.

Em Araras, foram1528 novos postos de trabalho com a maior parte das contratações em serviços Em Santa Rita do Passa Quatro, houve 1.549, também com destaque para serviços.

Recomendamos para você

Comentários

Assinar
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
plugins premium WordPress
0
Queremos sua opinião! Deixe um comentário.x