23 de Julho de 2024

Dólar

Euro

Cultura

Jornal Primeira Página > Notícias > Cultura > Gil conduz papos musicados em ‘Amigos, sons e Palavras’

Gil conduz papos musicados em ‘Amigos, sons e Palavras’

Na estreia - foram exibidos dois episódios em sequência - os convidados são a atriz Fernanda Montenegro e a cantora e compositora Liniker

24/01/2023 10h48 - Atualizado há 1 ano Publicado por: Redação
Gil conduz papos musicados em ‘Amigos, sons e Palavras’ Foto: Reprodução

A terceira temporada de Amigos, Sons e Palavras estreou na programação do Canal Brasil, com 13 episódios inéditos. Com o cantor e compositor Gilberto Gil como condutor de papos intimistas e descontraídos – mas jamais frívolos.

Na estreia – foram exibidos dois episódios em sequência – os convidados são a atriz Fernanda Montenegro e a cantora e compositora Liniker. Ao longo da temporada, passarão pelo programa a atriz Glória Pires, o comediante Marcelo Adnet, o antropólogo Hermano Vianna, o sociólogo Laymert Garcia dos Santos e a chef de cozinha Bela Gil. A direção é de Letícia Muhana e Patrícia Guimarães.

Segundo Gil, embora Amigos, Sons e Palavras seja centrado nele, em sua história, músicas e pensamentos, ele traz muito de cada convidado. “Sou conversador. Vamos com as conversas até onde elas dão pé para nós. É o frescor das águas com a areia no fundo é o que precisamos”, diz ele, na coletiva de imprensa de apresentação da temporada.

No papo com Fernanda Montenegro, os dois imortais da Academia Brasileira de Letras falaram sobre o que a atriz denominou por “a terceira margem do rio” na qual os artistas se banham ao entrar em cena. “É nascer, viver e morrer quando se está em um palco”, diz ela. “Fernanda lida com essas questões da dimensão humana, das leituras do drama humano que os autores fazem. Uma conversa com a Fernanda há sempre a possibilidade de um aprendizado muito grande. É sempre farta dessa seiva profunda, desse florestal enorme que ela representa”, diz Gil.

Versões

No programa, Gil, além de conversador, como ele gosta de se definir, também é músico e cantor. Cada episódio é aberto por uma canção que puxa o roteiro de cada programa.

No episódio com Fernanda Montenegro, Gil canta Palco, de 1981. Fernanda dramatiza o trecho que diz “Fogo eterno pra consumir /O inferno, fora daqui”. O que chama atenção é que tanto Palco quanto Raça Humana, cantada por Gil no programa em que Liniker é convidada, soam como versões diferentes de todas que o compositor já apresentou.

Indagado pela reportagem do Estadão sobre essa percepção, Gil concordou e disse que esse é um aspecto do programa que lhe agrada muito. “São versões exigidas pela condensação. Eu e o violão ali. Só nós dois diante daquela pessoa para a qual a música está sendo cantada. Elas se tornam novas, íntimas. São versões mais espontâneas, sem extremos cuidados de arte finalização. Essa simplicidade me agrada muito.”

Recomendamos para você

Comentários

Assinar
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
plugins premium WordPress
0
Queremos sua opinião! Deixe um comentário.x