25 de Fevereiro de 2024

Dólar

Euro

Internacionais

Jornal Primeira Página > Notícias > Internacionais > Cessar-fogo em Gaza começou na madrugada de sexta-feira (24), diz Catar

Cessar-fogo em Gaza começou na madrugada de sexta-feira (24), diz Catar

"A pausa começará às 7h desta sexta-feira", informou o porta-voz do ministério das Relações Exteriores do Catar Majed al Ansari

24/11/2023 12h35 - Atualizado há 3 meses Publicado por: Redação
Cessar-fogo em Gaza começou na madrugada de sexta-feira (24), diz Catar Foto: Arte / Jornal Primeira Página
Reportagem: Estadão Conteúdo

O cessar-fogo de quatro dias na Faixa de Gaza vai entrar em vigor às 7h de sexta-feira (24), (2h da madrugada pelo horário de Brasília), informou o Catar, que mediou a negociação entre Israel e o grupo terrorista Hamas junto com Estados Unidos e Egito. Os reféns serão liberados a partir das 16h do horário local (11h no Brasil).

“A pausa começará às 7h desta sexta-feira”, informou o porta-voz do ministério das Relações Exteriores do Catar Majed al Ansari. “O primeiro grupo de reféns civis será entregue aproximadamente às 16h do mesmo dia”, acrescentou.

Ainda de acordo com o representante do Catar, o primeiro grupo a ser liberado contempla 13 mulheres e crianças, sequestradas pelo Hamas no ataque terrorista de 7 de outubro e mantidas como reféns desde então. “Um certo número de civis será libertado todos os dias até atingir o total acordado de 50 no final dos quatro dias”, explicou.

A pausa nos combates aprovada esta semana será a primeira desde o início da guerra, desencadeada pelo atentado sem precedentes contra Israel. Cerca 1.200 pessoas morreram e 240 foram sequestradas. Inicialmente, a trégua estava prevista para começar nesta quinta-feira, mas obstáculos de última hora parecem ter atrasado o acordo. O conselheiro nacional de segurança de Israel, Tzachi Hanegbi, disse que os reféns não seriam liberados antes da sexta-feira, sem dar detalhes sobre o motivo do atraso.

O cessar-fogo promete trazer alívio para os familiares dos reféns, que vinham pressionando o governo israelense pela liberação com protestos massivos e para os civis do enclave, que estão sob bombardeio constante. Segundo o Ministério da Saúde de Gaza, controlado pelo Hamas, o número de mortos passa de 13 mil

Os Estados Unidos, um dos maiores aliados de Israel, tem reafirmado que o país tem o direito de se defender, mas pedem que o cessar-fogo seja ampliado. Tel-Aviv, por sua vez, sugere que poderia estender a trégua por um dia para cada 10 reféns liberados além dos 50 já estão contemplados pelo acordo.

Recomendamos para você

Comentários

Assinar
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
0
Queremos sua opinião! Deixe um comentário.x