23 de Julho de 2024

Dólar

Euro

Polícia

Jornal Primeira Página > Notícias > Polícia > DIG intensifica ações contra quadrilhas que roubam residências em São Carlos

DIG intensifica ações contra quadrilhas que roubam residências em São Carlos

Segundo delegado João Fernando Baptista, sua equipe está empenhada nos esclarecimentos de casos e também na detenção dos envolvidos

16/01/2023 11h22 - Atualizado há 2 anos Publicado por: Redação
DIG intensifica ações contra quadrilhas que roubam residências em São Carlos Foto: Jean Guilherme / Jornal Primeira Página
Reportagem: Jean Guilherme

 

Diante da elevação nos índices sobre os casos de roubos desde dezembro de 2022, onde à mão armada, criminosos rendem famílias e agem com extrema violência, chegando até a agredir seus alvos, a DIG (Delegacia de Investigações Gerais), sobre o comando do delegado de polícia, João Fernando Baptista, há dias vem intensificando as ações contra quadrilhas que estariam atuando nos delitos contra residências em diversos pontos da cidade de São Carlos (SP).

De acordo com o que destacou o delegado da unidade especializada do policiamento judiciário, o desafio em 2023 começa com as possíveis identificações de envolvidos nessas quadrilhas, que estariam alugando ou emprestando armamentos para a prática de roubos contra residências e também a comércios do município. Segundo João Fernando Baptista, o SIP (Setor de Inteligência Policial) da DIG, filtra algumas informações que chegam e foram levantadas sobre as atuações, como tipos de veículos utilizados, quais os armamentos empregados para rendições das vítimas e as maneiras como agiram os marginais durante as práticas dos crimes. Algumas das quadrilhas, segundo salientou a autoridade policial, parecem ser compostas na maioria por adolescentes, que recebem as coordenadas de um maior de idade, que fica com a incumbência de negociar com vítimas sobre os bens de maior valor da casa.

“Eu entendo o pavor dessas vítimas, mas precisamos que elas cooperem, confiem na polícia e auxiliem os investigadores da nossa unidade, pois informações passadas por estas são sigilosas e sabemos que a memória fotográfica de cada vítima, por mais que seja de extrema perturbação, pode auxiliar não só o policiamento, mas também outras vítimas”, afirmou o delegado da DIG.

As equipes da DIG, segundo Baptista, vêm trabalhando diuturnamente e isso faz com que venha surtindo os efeitos, pois alguns marginais estão sendo identificados e com isso, a Polícia Civil espera em breve esclarecer alguns crimes ocorridos nas regiões da Vila Prado, Jardim Pacaembu, Cidade Aracy, entre outros pontos da cidade.

“Nesta última semana, um dos integrantes de um bando foi preso pela DIG, que também deu sequência em abordagens da Polícia Militar, e já teria constatado o envolvimento de menores de idade, bastante violentos, em diversos crimes de roubo em toda a cidade”, ressaltou o delegado.

O delegado João Fernando Baptista, afirmou que outros casos de roubos e também furtos, estão sendo analisados por suas equipes de investigações, que vêm tendo total respaldo da sociedade por intermédio do telefone (16) 3374-1596 (Disque Denúncia da DIG), pois a população vem apontando os acusados, e com isso os policiais civis abrem um campo maior nas apurações, as quais em 2022, em um trabalho de inteligência envolvendo não só a DIG (Delegacia de Investigações Gerais), mas também a Polícia Militar foi possível identificar alguns marginais que estariam realizando roubos e furtos de caminhonetes. Após algumas prisões realizadas, os números de tais delitos baixaram no município de forma considerável, tudo através de total cooperação do Ministério Público do Estado de São Paulo e o Poder Judiciário, que expediram mandados de buscas e prisões aos articuladores dos crimes, como por exemplo o que gerou a morte de um comerciante na região Norte da cidade, cujo delito ainda segue sendo apurado e aponta uma suposta ligação entre quadrilhas de vendas de peças de tais veículos, que deixaram a cidade e seguiram para outros estados e também para o Paraguai.

“Vale sempre ressaltar, que as equipes da DIG não estão empenhadas apenas em identificar os marginais que praticam tais delitos, mas também identificar quem está por trás destas quadrilhas, que segundo tudo aponta são pessoas que adquirem os objetos ilícitos, os famosos ‘receptadores’”, destacou João Fernando.

HOMICÍDIOS – O delegado de polícia fez um balanço sobre a atuação da delegacia especializada, quanto aos crimes com autorias desconhecidas, e informou que sua equipe vem se desdobrando nos esclarecimentos de homicídios dolosos (morte com intenção).

No ano passado, ocorreu um aumento nos números de crimes e vítimas, porém as elucidações por parte da Polícia Civil vêm surtindo resultados e em mais de 75% dos casos, os investigadores com o serviço de inteligência da DIG, conseguiram esclarecer as autorias e um caso que teve repercussão nacional, o caso ‘Baloo’, que está fechado e relatado ao Ministério Público do Estado de São Paulo e ao Poder Judiciário, que começaram a ouvir testemunhas e o próprio pintor de paredes, Aelson de Almeira Ribeiro, 42 anos, que confessou ter assassinado três pessoas em sua própria moradia, onde as enterrou em seu quintal, na região sul de São Carlos (SP).

“Nosso setor de inteligência da Polícia Civil está a todo vapor e a DIG (Delegacia de Investigações Gerais), além do trabalho em campo, associa informações e tecnologia para chegar aos integrantes das quadrilhas que estão sendo identificados, e com isto os ‘chefes’, conhecidos como ‘cabeças’, serão colocados atrás das grades em breve”, finalizou João Fernando Baptista.

Recomendamos para você

Comentários

Assinar
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
plugins premium WordPress
0
Queremos sua opinião! Deixe um comentário.x