Quarta-feira, 24 Janeiro 2018  05:42:25

Jeferson Vieira

Ao lado do vice-prefeito Horácio Carmo Sanchez, da dirigente regional de ensino, Débora Gonzales Costa Blanco, e da vereadora Ivani Almeida da Silva, o deputado federal Lobbe Neto, do PSDB paulista, participou na manhã desta terça-feira, 23, da assinatura da autorização das obras de reforma estrutural na Escola Estadual “Prof° João Jacinto do Nascimento”, conhecida como “EE João Guedes”, localizada no Jardim Cruzado, em Ibaté.

As obras serão realizadas graças aos esforços e trabalho do deputado Lobbe. “Fomos procurados pela vereadora Ivani, que nos solicitou ajuda para a reforma da escola e, em conjunto com a Diretoria de Ensino, fizemos a solicitação para a Secretaria Estadual da Educação, através da FDE”, explicou o parlamentar.

De acordo com Débora, serão investidos recursos na ordem de aproximadamente R$ 150 mil e os serviços serão executados pela empresa Cedro Construtora e Incorporadora Ltda., vencedora do processo licitatório realizado pelo governo estadual. “A reforma vai garantir o reforço e uma ampla revitalização das instalações, já que o prédio da escola enfrenta uma série de problemas estruturais, que criam desconforto aos alunos”, explicou ela.

O projeto elaborado pela equipe técnica da FDE [Fundação para o Desenvolvimento da Educação] inclui a substituição de portas de madeira por portas metálicas; substituição de elementos vazados por esquadrias metálicas basculantes nas caixas de escadas, corredor de salas de aula e hall do elevador; revisão parcial da cobertura do prédio escolar e quadra de esportes com a substituição de telhas metálicas; revisão parcial de instalações hidráulicas da rede água e esgotos; revisão parcial de instalações elétricas; reforma do revestimento em paredes da cozinha, despensa e sanitários administrativos, com a substituição dos azulejos; pintura externa de paredes do prédio escolar e pintura das novas esquadrias; instalação de alambrado sobre o muro de fechamento de divisa (lateral e fundo); entre outros. O prazo contratual para conclusão dos serviços é de 180 dias.

Horácio comentou sobre a importância da execução das obras. “O prédio estava precisando de melhorias, por isso, em nome do prefeito José Luiz Parella, agradeço a atenção dispensada pelo deputado federal Lobbe Neto, pela dirigente de ensino Débora Gonzalez e ao pedido feito pela vereadora Ivani. A prefeitura está sempre à disposição porque essa escola não é do estado e sim da nossa cidade”, destacou o vice-prefeito.

 A vereadora Ivani também agradeceu o apoio do deputado. “Procuramos o Lobbe e, prontamente, o deputado nos atendeu e disse que iria ajudar no que fosse possível. Muito feliz de poder estar aqui, presente nesse ato, sabendo que essas reformas irão beneficiar nossos alunos, usuários dessa unidade escolar. Obrigado, Lobbe”, declarou.

Segundo a direção da escola, as obras não irão interferir no andamento das aulas, que terão início no dia 1º de fevereiro.

 

UNINTER inaugura Polo em São Carlos

Sábado, 20 Janeiro 2018 22:14 Publicado em Cidades

Mais de 100 cursos, entre cursos de graduação, pós-graduação e extensão, na modalidade a distância, são oferecidos pela instituição A cidade de São Carlos acaba de ganhar um Polo de Educação a Distância (EAD) do Centro Universitário Internacional UNINTER, considerado o maior centro universitário do país, com mais de 190 mil alunos.
O Polo oferece 42 cursos de graduação e mais de 70 em pós-graduação e extensão na modalidade a distância, dando suporte presencial aos alunos. Os estudantes tem disponível uma estrutura completa com biblioteca, laboratório de informática com acesso à internet, salas de estudos individuais e em grupo, salas para tutoria e brinquedoteca.
"São Carlos está recebendo o maior e melhor centro universitário do país. Estamos muito felizes em trazer a UNINTER para a cidade e região", explica a gestora Valléria Mokwa.
A localização é estratégica, fica na Rua Aquidaban, 1244 - Centro - Fone: (16) 3416-5065/ 3416-5015 – WhatsApp: (016) 98244-5065.
Orgulho de ensinar, certeza de aprender
O Centro Universitário Internacional UNINTER foi criado a partir da fusão entre a Faculdade Internacional de Curitiba (FACINTER) e a Faculdade de Tecnologia de Curitiba (FATEC), com o objetivo de transpor barreiras geográficas para levar ensino de qualidade a todo o Brasil com preços acessíveis.
Para isso, aposta em uma equipe docente extremamente qualificada e em tecnologias de ponta. Com sede em Curitiba, conta com estúdios equipados com o que há de melhor em audiovisual para produzir, editar e transmitir aulas e conteúdos complementares para todo o Brasil, que pode ser assistido no Polo de Apoio Presencial em São Carlos ou através da Univirtus, uma plataforma digital completa, que pode ser acessada via notebook, tablet ou celular do próprio aluno.
A UNINTER possui mais de 600 polos de apoio presencial em todos os estados brasileiros e Distrito Federal.  Em 21 anos de atuação, mais de 400 mil alunos se formaram na instituição.

Alunos levam tratamento de esgoto a áreas rurais

Sábado, 20 Janeiro 2018 22:03 Publicado em Cidades

O saneamento ambiental, apesar de se tratar de um direito constitucional básico, não faz parte da realidade de todas as famílias brasileiras. Como costuma ocorrer com boa parcela dos serviços públicos, o pior cenário se encontra nas áreas rurais. Entre os habitantes do campo, apenas 5,2% têm em suas casas serviço de coleta de esgoto, segundos dados da Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicílios (PNAD) de 2012.

A assistência ao campo deve levar em conta as especificidades desse espaço. Em relação ao saneamento, o ambiente rural requer uma abordagem própria, diferente da convencionalmente adotada nas áreas urbanas. Foi pensando nisso que um grupo de alunos da Escola de Engenharia de São Carlos (EESC) da USP passou a planejar projetos de tecnologias sociais para o Assentamento Comunidade Agrária Nova São Carlos.

Lara Ramos, uma das responsáveis pelo assentamento, avalia que “os problemas sanitários estão no meio de um contexto de várias outras lacunas e serviços não realizados pelo poder público”. Por isso, em iniciativas como a proposta pelos alunos da EESC, é importante que as tecnologias implementadas sejam simples e de baixo custo, para que o acesso a elas seja amplo e os próprios beneficiados possam cuidar de sua instalação e manutenção.

O Grupo de Estudos e Intervenções Socioambientais (Geisa) da USP é o responsável pela idealização e realização dos projetos. Trata-se de um grupo de extensão que surgiu no curso de Engenharia Ambiental da EESC em 2009 e hoje conta com alunos de vários outros cursos. “O Geisa atua nas frentes de educação ambiental, agroecologia, bioconstrução, compostagem e tecnologias sociais, buscando dialogar com as demandas da sociedade”, conta Lara.

Os projetos de tecnologias sociais no Assentamento Comunidade Agrária Nova São Carlos tiveram início em 2013, quando começaram as visitas aos lotes, as conversas com as famílias e o contato direto com a realidade da zona rural. Em 2015, se consolidou o primeiro projeto, com a construção de um banheiro seco em um terreno, com a participação direta da família que nele reside.

“A participação direta dos assentados é um princípio nosso para todas as oficinas. Isso se justifica pelo fato de que são eles que vivenciam e entendem de toda a dinâmica do local, além de que serão eles que irão monitorar diariamente a tecnologia”, conta Lara.

O banheiro seco é uma alternativa ecológica ao tratamento dos dejetos humanos, na qual as fezes são separadas da urina: se armazenam as fezes em um local sem contato com o ambiente externo, e a urina é encaminhada a um sistema fechado de tratamento de águas residuais.

Lote

Em 2016, em outro lote, foi construída uma fossa séptica por bombonas. As fossas são unidades de tratamento de esgoto doméstico nas quais são feitas a separação e a transformação físico-química da matéria sólida contida no esgoto. Apesar de ser uma boa alternativa às residências desassistidas, as fossas não são como numa estação de tratamento de esgotos.

O último projeto, finalizado em 2017, resultou na construção de um tanque de evapotranspiração. Nesse sistema, a água do vaso sanitário é tratada através da digestão realizada pelas bactérias que vivem e se multiplicam no esgoto. As plantas também são fundamentais no sistema, já que elas que se aproveitam da água que vem com a descarga e do “adubo” produzido pelas pessoas. Como resultado desse processo, além do esgoto doméstico ser tratado, água e alimentos são gerados – pela evaporação do solo e das folhas e pelos plantas que dão frutos.

Desde 2013, grupos de estudos e debates aprofundam a discussão a respeito dos aspectos sociais, culturais e ambientais que envolvem o meio rural e os assentamentos. Para Lara, o Geisa cumpre com o papel social da Universidade, na medida em que possibilita a construção de novos conhecimentos a partir de demandas reais de pessoas historicamente invisibilizadas.

“Analisando quantitativamente, construímos três tecnologias em três anos. Para um grupo de estudantes com todas as limitações – dinheiro, apoio, carga horária excessiva, é excelente”, avalia Lara. A aluna conclui dizendo esperar que projetos como esse possam um dia embasar políticas públicas que atendam às demandas da população.

PUBLICIDADE

Bogas
Atlântica
Anacã

PUBLICIDADE

Jornal 1ª Primeira Página. Todos os direitos reservados.