20 de Abril de 2024

Dólar

Euro

Brasil

Jornal Primeira Página > Notícias > Brasil > Avança projeto que torna obrigatório ensino de espanhol nas escolas

Avança projeto que torna obrigatório ensino de espanhol nas escolas

Disciplina pode voltar a ser obrigatória na grade da rede estadual após 7 anos

05/03/2024 21h58 - Atualizado há 2 meses Publicado por: Redação
Avança projeto que torna obrigatório ensino de espanhol nas escolas Carol Jacob/Alesp

A Comissão de Educação e Cultura (CEC) da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo deu aval, na tarde de terça-feira (5), ao projeto de lei que torna obrigatório o ensino da Língua Espanhola nas escolas da rede estadual de ensino. Na primeira reunião do Colegiado em 2024, outros dez projetos de lei foram avalizados e a maioria segue em tramitação na Casa.

A obrigatoriedade do ensino da Língua Espanhola nas escolas estaduais paulistas pode voltar após 7 anos. O espanhol esteve presente na grade curricular de todas as escolas do Brasil entre 2005 e 2017, quando a Lei Federal da Reforma do Ensino Médio manteve apenas o ensino do inglês como parte fundamental do novo currículo.

INTEGRAÇÃO

O PL 446/2018, de autoria da deputada Leci Brandão (PCdoB), pretende resgatar isso e estipula 2 horas semanais de ensino de espanhol para os três anos do Ensino Médio da rede pública estadual. “O fato de somente o inglês ser de ensino obrigatório entre as línguas estrangeiras se dá em detrimento de uma política de plurilinguismo, constituindo um gesto que não coaduna com a demanda da sociedade brasileira atual, cada vez mais cosmopolita e culturalmente complexa”, explicou. “É importante salientar, ainda, que a língua espanhola é de grande importância para a busca pela integração dos povos da América Latina, preceito que consta em nossa Constituição”, complementou Leci.

SEGURANÇA NAS ESCOLAS

Outro projeto aprovado pela CEC foi o PL 1185/2023, que autoriza o Poder Executivo a treinar os profissionais da Educação para identificar sinais de abuso em crianças e adolescentes. De autoria da deputada Clarice Ganem (Podemos), a propositura pretende dar celeridade na identificação de qualquer tipo de abuso para que providências sejam tomadas. “A proximidade [entre crianças e profissionais da Educação] pode ser valiosa para possibilitar a detecção de eventuais sinais de abuso de qualquer natureza, seja moral, física ou sexual”, detalhou a parlamentar.

O projeto de lei 449/2019, de autoria do ex-deputado Adalberto Freitas, também avançou após o aval do Colegiado. A proposta prevê a obrigatoriedade de instalação de câmeras de monitoramento nos espaços comuns, como portões, corredores e pátios, das escolas da rede estadual de ensino.

O objetivo, segundo o autor, é “prevenir a violência e garantir a segurança dos estudantes, educadores e corpo técnico das escolas, bem como a preservação do patrimônio público”.

MÚSICA

A criação do Programa Música na Escola também recebeu o aval da Comissão de Educação na reunião. O projeto 1098/2023, de autoria do deputado Lucas Bove (PL), autoriza o Executivo a ofertar, no contraturno das atividades curriculares, aulas de música aos estudantes da rede pública que quiserem se matricular.

Recomendamos para você

Comentários

Assinar
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
0
Queremos sua opinião! Deixe um comentário.x