13 de Abril de 2024

Dólar

Euro

Brasil

Jornal Primeira Página > Notícias > Brasil > Casos de síndrome respiratória grave estão em queda

Casos de síndrome respiratória grave estão em queda

Ainda há, no entanto, sinal de crescimento em oito estados

19/06/2023 12h31 - Atualizado há 10 meses Publicado por: Redação
Casos de síndrome respiratória grave estão em queda Foto: Raquel Portugal / Fiocruz

Os casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) estão em queda nas tendências de longo prazo nas últimas seis semanas e de curto prazo, que envolvem as últimas 3 semanas. É o que informa o boletim InfoGripe, divulgado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Em alguns estados, há crescimento nas crianças do vírus sincicial respiratório, sendo responsável pelo aumento dos casos nessa faixa etária. O pesquisador Marcelo Gomes, coordenador do InfoGripe aponta que a redução dos casos acontece principalmente das regiões Centro-Sul, com queda ou interrupção do crescimento de SRAG.

Já as regiões Norte e Nordeste do país apresentam sinais de crescimento da síndrome respiratória em diversos estados. Oito estados e nove capitais apresentam indícios de crescimento na tendência de longo prazo, com o aumento de casos associados ao vírus influenza A, sendo majoritariamente H1N1.

Os oito estados que apresentam sinal de crescimento são: Acre, Alagoas, Amapá, Pará, Paraíba, Rio Grande do Norte, Roraima e Sergipe. Em cinco, Acre, Amapá, Pará, Rio Grande do Norte e Roraima, o crescimento recente está associado às crianças.

Nos estados de Alagoas, Paraíba e Sergipe, além das crianças, é possível observar aumento em faixas etárias da população adulta, principalmente em idades mais avançadas.

Capitais

Nove capitais apresentam sinal de crescimento da síndrome respiratória: Aracaju (SE), Belém (PA), Boa Vista (RR), Cuiabá (MT), João Pessoa (PB), Macapá (AP), Rio Branco (AC), São Luís (MA) e Vitória (ES). Na maioria, o sinal está presente sobretudo nas crianças.

Recomendamos para você

Comentários

Assinar
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
0
Queremos sua opinião! Deixe um comentário.x