18 de Maio de 2024

Dólar

Euro

Cidades

Jornal Primeira Página > Notícias > Cidades > Base teórica à aplicação profissional foi tema do simpósio da Psicologia

Base teórica à aplicação profissional foi tema do simpósio da Psicologia

Evento reuniu cerca de 200 estudantes

31/08/2022 21h01 - Atualizado há 2 anos Publicado por: Redação
Base teórica à aplicação profissional foi tema do simpósio da Psicologia

De 22 a 27 de agosto, aconteceu o XIII Simpósio de Psicologia da UNICEP, sob o tema: “Psicologia – da base teórica à aplicação profissional”. O evento reuniu cerca de 200 estudantes.

A estudante do 2º período de Psicologia da UNICEP, Patricia Puntel Dinamarco, de 52 anos, atua como docente do ensino Fundamental e ensino Médio, na área de Linguagens e Códigos e afirmou: “Como aluna do primeiro ano em psicologia, achei que iria encontrar dificuldade de entendimento nas palestras que iriam ser ministradas. No entanto, apesar de não conhecer alguns termos ou teorias, foi engrandecedor! Fomentou ainda mais meu interesse pela psicologia. Penso que para manter-se no curso de graduação são necessários muitos reforçadores positivos e ser resiliente aos negativos, como orientou nossa sábia professora Vanessa Souza! Então, posso dizer com toda alegria e segurança que essa semana foi muito especial…”.

Ela ainda descreveu o que achou das palestras: “Impossível escolher uma única palestra! Cada uma teve sua particularidade. A palestrante Bárbara Carlindo da Costa sinalizou a importância e responsabilidade que o profissional tem em fazer diagnósticos e interversões neuropsicológicas, ficamos encantadas (os) com tantas possibilidades! Paulo Egnaldo Nóbrega trouxe conhecimento sobre como tratar pessoas de gêneros fluidos, a ignorância no atendimento sobre o assunto, pode prejudicar seriamente a vida do paciente. Carmem Lúcia de Oliveira emocionou a todos trazendo a história de como os atendimentos em manicômios eram realizados, contudo, a palestrante, trouxe luz e esperança, reforçando uma eterna vigília para que esses métodos não voltem jamais! O fim do manicômio é a bandeira principal do movimento que gerou a reforma psiquiátrica.”.

E continuou: “O palestrante Lucas Ferragini, além de falar muito bem, ter uma ótima oratória, nos transportou para Freud de uma maneira tão leve… ‘Qual a sua responsabilidade na desordem do qual você se queixa?’. Com certeza, todos os convidados acharam excelente o bate papo com o Lucas! Já a dupla de palestrantes de mulheres fortes e de um grande engajamento profissional foram incansáveis! Tiraram todas as nossas dúvidas durante a palestra! Aliás, ficaram muito além do horário estipulado para o final. Obrigada Cláudia Zanchin e Marcela Santos da Silva! Mas pensam que terminou o show de palestras? Não!! Veio, então, o Grand Finale no sábado pela manhã! Arthur Adauto de Souza fechou o simpósio com muitos aplausos e a plateia toda ficou de pé! Sim, ele é sensacional! Completo! Nos comentários do chat, fizemos até fila para o seu autógrafo e tem mais, queríamos ser a suas melhores amigas (os) ” e ainda repetiu a citação de Arthur: “A onde tem sobra tem luz”.

Como Patricia contou, na sexta-feira, os estudantes participaram da palestra “Práticas da Psicologia no Contexto Escolar com Crianças e Adolescentes”, com a egressa do curso de Psicologia da UNICEP, Marcela Santos da Silva e da psicóloga e docente Cláudia Roberta Zanchin.

Cláudia mostrou a atuação de profissionais da psicologia no campo escolar, bem como seus desafios e oportunidades. E afirmou que a psicologia é uma ciência com amplas aplicações: clínica, hospitalar, jurídica, social, comunitária, organizacional e escolar. “Contudo, embora a psicologia seja um dos cursos mais concorridos dos vestibulares, o mesmo não acontece para a escolha da atuação em psicologia escolar. Um dos fatores talvez esteja voltado ao mercado de trabalho escasso até mesmo nas escolas participares, uma vez que hoje, as políticas públicas para a atuação do profissional da psicologia no campo escolar se dão apenas para a educação básica de escolas públicas de acordo com a Lei nº 13.935 de 11 de dezembro de 2019, que versa sobre a atuação de psicólogos e assistentes sociais nas escolas públicas”, contou.

E explicou: “Sabemos da importância da aplicação e das contribuições da psicologia, sobretudo no espaço escolar, trabalhando com a articulação de mudanças, com o desenvolvimento humano, inclusão de pessoas com deficiência, escolarização em todos os níveis, processos de ensino e aprendizagem, formação de professores, os demais funcionários da escola etc. Vale ressaltar que diante de tantas ações, o psicólogo escolar não realiza atendimentos clínicos e psicoterápicos, esse trabalho é de responsabilidade do psicólogo clínico, não escolar!”.

Ela ainda fez usou uma citação de Rubens Alves “Há escolas que são gaiolas e há escolas que são asas”, para dizer que: “o psicólogo pode, através do seu trabalho, facilitar que a escola seja como asas para seus alunos”.

E Patricia fez questão de finalizar: “O resultado desse encontro foi absolutamente positivo! Entendemos que ser psicólogo (a) requer os seguintes atributos: evolução, empatia, profissionalismo, estudos frequentes, coletividade, parcerias, confiança, tranquilidade e humanidade.”.

Recomendamos para você

Comentários

Assinar
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
0
Queremos sua opinião! Deixe um comentário.x