24 de Maio de 2024

Dólar

Euro

Cidades

Jornal Primeira Página > Notícias > Cidades > Capoeira participará de competição estadual

Capoeira participará de competição estadual

De acordo com instrutor Manda Chuva, a capoeira é parte fundamental da cultura brasileira

05/05/2024 07h53 - Atualizado há 3 semanas Publicado por: Redação
Capoeira participará de competição estadual Divulgação

Entre os dias 9 e 12 de maio, os alunos do programa Vida Ativa, da Secretaria Municipal de Esportes de Itirapina que praticam capoeira participarão dos Jogos Abertos do Interior Paulista em Aparecida do Norte.

De acordo com instrutor Manda Chuva, a capoeira é parte fundamental da cultura brasileira e os capoeiristas de Itirapina não medem esforços para manter viva essa cultura maravilhosa. “Nossos alunos irão representar a cidade com muita energia, ritmo e habilidade”.

O instrutor ensina que além de ser uma atividade física, a capoeira traz vários conceitos que ajudam as pessoas a enfrentarem os desafios no cotidiano. “A vida é como uma roda de capoeira, quem vive joga, quem joga vive.”, finalizou.

A capoeira é uma arte marcial que mistura dança, música e golpes. É uma das principais expressões culturais afro-brasileiras.

A história da capoeira começa no século XVI, na época em que o Brasil era colônia de Portugal. A mão de obra escrava africana foi muito utilizada no Brasil, principalmente nos engenhos (fazendas produtoras de açúcar) do nordeste brasileiro. Muitos destes escravos vinham da região de Angola, também colônia portuguesa. Os angolanos, na África, faziam muitas danças ao som de músicas.

Ao chegarem ao Brasil, os africanos perceberam a necessidade de desenvolver formas de proteção contra a violência e repressão dos colonizadores brasileiros. Eram constantemente alvos de práticas violentas e castigos dos senhores de engenho. Quando fugiam das fazendas, eram perseguidos pelos capitães do mato, que tinham uma maneira de captura muito violenta.

Os senhores de engenho proibiam os escravos de praticar qualquer tipo de luta. Logo, os escravos utilizaram o ritmo e os movimentos de suas danças africanas, adaptando a um tipo de luta. Surgia assim a capoeira, uma arte marcial disfarçada de dança. Foi um instrumento importante da resistência cultural e física dos escravos brasileiros.

A prática da capoeira ocorria em terreiros próximos às senzalas (galpões que serviam de dormitório para os escravos) e tinha como funções principais à manutenção da cultura, o alívio do estresse do trabalho e a manutenção da saúde física. Muitas vezes, as lutas ocorriam em campos com pequenos arbustos, chamados na época de capoeira ou capoeirão. Do nome deste lugar surgiu o nome desta luta.

Até o ano de 1930, a prática da capoeira ficou proibida no Brasil, pois era vista como uma prática violenta e subversiva. A polícia recebia orientações para prender os capoeiristas que praticavam esta luta. Em 1930, um importante capoeirista brasileiro, mestre Bimba (Manoel dos Reis Machado), apresentou a luta para o então presidente Getúlio Vargas. O presidente gostou tanto desta arte que a transformou em esporte nacional brasileiro.

Em 26 de novembro de 2014, a UNESCO (Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura), declarou a roda de capoeira como sendo um patrimônio imaterial da humanidade. De acordo com a organização, a capoeira representa a luta e resistência dos negros brasileiros contra a escravidão durante os períodos colonial e imperial de nossa história.

 

Recomendamos para você

Comentários

Assinar
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
0
Queremos sua opinião! Deixe um comentário.x