29 de Fevereiro de 2024

Dólar

Euro

Cidades

Jornal Primeira Página > Notícias > Cidades > Espaço da Escola Jesuíno de Arruda

Espaço da Escola Jesuíno de Arruda

07/12/2023 21h51 - Atualizado há 3 meses Publicado por: Redação
Espaço da Escola Jesuíno de Arruda

Clamando por conscientização! 

 

No mundo das pessoas o eco

Se faz aliado a um instrumento

De transformação e cuidado

Pela preservação do meio ambiente

Que é tão amado.

 

Com suas batidas suaves e precisas,

As pessoas ecoam mensagens concisas

Para chamar atenção e conscientizar as pessoas

Com o olhar atento

para proteger a natureza, que é nosso sustento.

 

Florestas exuberantes Indígenas ecoa

Pedindo que a destruição não mais ocorra.

Que as árvores sejam sempre Abraçadas e respeitadas

Para manter nossa biodiversidade

Preservada!

 

Nos rios e oceanos

animais marinhos estão clamando por águas limpas  Sem poluição

Para nadarem livres

Sem sofrer intoxicação

sem o excesso de poluentes

 

No ar que respiramos pedimos por céus azuis

ar puro, menos emissões, menos poluição.

Para que nossas crianças

O futuro da pátria tenham a solução.

 

Para que cada pessoa que está lendo essa poesia,

seja a voz da mudança, avançando e preservando o meio ambiente que é nosso dever

Para que a natureza continue a reproduzir e florescer.

 

Que essa poesia ecoe como um chamado para cuidarmos do planeta que é nosso legado!

Que sejamos símbolos de união e força

Para cuidar do nosso planeta, conscientizar as pessoas , porque juntos podemos fazer a diferença e salvar

Nosso planeta!

(Lucas Fernando Arruda dos Santos – 2ª série C – Profª. Érica)

 

 

 

Odioso amor e cupido 

Odioso amor e cupido

Por que raios vocês sempre vem?

Para me fazer chorar e sofrer novamente?

Sempre quando eu estou bem

Vocês voltam com a sua ilusão

De amor estúpido

 

Querido odioso amor

Para de tentar enganar os apaixonados

O seu amor não existe,

Eles podem até existir para alguns

Mas para mim, não

Eu não confio mais em você

O seu amor é dor

E eu não quero isso

 

Querido odioso cúpido

Você é só uma metáfora, não?

O anjo do amor que acerta as flechas

E eles se amam felizes para sempre

Isso é só enganação

Na verdade hoje em dia,

Você acerta uma flecha e esquece de mirar

Na outra pessoa

Eu comecei a te odiar

 

(Bárbara Cardoso – 2ª série B)

 

 

Contradições do Amor

Um amor pode te trazer felicidade ou ruínas

Mas mesmo assim você vai lá e tenta

Mesmo assim você vai lá e insiste

Mas por quê?

 

O amor é uma pequena autodestruição

Não importa se é no sentido romântico

Ou amizade

O amor pode ser traiçoeiro

Mas pode ser verdadeiro

 

A verdade é

O que seria da gente sem um pequeno amor?

Sem o amor ser ruínas?

Ou um pequeno paraíso

 

A verdade é, todo mundo precisa disso

Todos precisam do amor

Todos precisam se arriscar

Ou confiar

Viva o amor e a sua pequena autodestruição

 

(Bárbara Cardoso – 2ª série B)

 

Recomendamos para você

Comentários

Assinar
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
0
Queremos sua opinião! Deixe um comentário.x