16 de Junho de 2024

Dólar

Euro

Cidades

Jornal Primeira Página > Notícias > Cidades > Etanol se mostra desvantajoso no abastecimento

Etanol se mostra desvantajoso no abastecimento

01/03/2012 14h24 - Atualizado há 12 anos Publicado por: Redação
Etanol se mostra desvantajoso no abastecimento

Os preços do etanol nos postos de combustíveis seguem sem competitividade em relação à gasolinaem São Carlos.Opreço médio do etanol nas bombas na cidade está em R$ 1,815. Segundo o levantamento,em São Paulo, o preço do etanol está em 72% do preço da gasolina (até 70% o etanol é competitivo).

Os dados são da Agência Nacional de Petróleo Gás Natural e Biocombustível (ANP) que na última semana pesquisou 21 postos de combustível na cidade e constatou que o preço mínimo negociado na cidade foi de R$ 1,699 e o máximo R$ 1,899, como está consolidado no site da instituição. A ANP realiza semanalmente a pesquisa em todo o País.

Segundo o diretor regional do Sindicato dos Postos de Combustível (Sincopetro) – Subsede Araraquara –, Fernando Bicaleto, que também cobre São Carlos, a alta nos preços do etanol só está começando. Na avaliação de Bicaleto é uma tendência que reflete a baixa capacidade produtiva das usinas brasileiras perante o aumento da frota de carros bicombustível (flex).

Nos postos de combustível de São Carlos, de acordo com o site da ANP, o desvio de preço, ou seja, a diferença entre o máximo e o mínimo está em R$ 0,065.

Já Bicaleto relata que a variação de preço é histórica e está intimamente ligada a entressafra da cana-de-açúcar. “Haverá nos próximos dias uma baixa no preço das bombas, mas é temporária. A tendência para o ano é a alta do preço”, sentencia.

Na avaliação do diretor regional do Sincopetro, a equação é fácil de ser explicada. A evolução da demanda do etanol com a popularização dos carros flex está inversamente proporcional à capacidade de produção do produto pela indústria brasileira.

Segundo ele, a União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica) já estimou em pesquisa que se a indústria automobilística continuar crescendo em 2% na produção de carros bicombustível até 2020, as usinas de etanol terão de dobrar a produção. “Uma realidade pouco viável dentro dos investimentos aplicados hoje no segmento”, sintetiza Bicaleto. 

O presidente da Unica, Marcos Jank, acredita que os preços da gasolina não subirão tão cedo. Jank fez sua declaração via assessoria de imprensa depois de participar, ontem, de reunião do comitê de energia da Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos (Amcham).

“Como a gasolina tem o preço fixo desde 2006, o etanol perdeu competitividade, porque seus preços refletem aumento de custos do setor”, disse. Para Jank, a saída pode estar em uma redução de impostos por parte do governo. “Estamos trabalhando também na redução de custos de produção”.

 

Recomendamos para você

Comentários

Assinar
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
0
Queremos sua opinião! Deixe um comentário.x