21 de Maio de 2024

Dólar

Euro

Cidades

Jornal Primeira Página > Notícias > Cidades > Médico faz orientações para vítimas da dengue

Médico faz orientações para vítimas da dengue

Hospital Municipal está sobrecarregado com mais de 200 atendimentos diários com pacientes com suspeita de dengue

07/05/2024 07h58 - Atualizado há 2 semanas Publicado por: Redação
Médico faz orientações para vítimas da dengue Divulgação/Fiocruz/Agência Brasil

A Secretaria Municipal de Saúde informa a população que todas as unidades de saúde de Itirapina estão preparadas para o atendimento dos casos suspeitos e confirmados de dengue.

Os pacientes com sintomas leves devem procurar as Unidades de Saúde dos bairros quando apresentarem sintomas como febre, dor de cabeça, dor nos olhos, mal-estar, falta de apetite e dor no corpo para que os profissionais possam orientar sobre o tratamento.

Nas situações mais graves, quando há dores fortes na barriga, vômitos persistentes, sangramentos, os pacientes devem procurar o Hospital Municipal São José.

Ao buscar atendimento nas unidades de saúde dos bairros, os pacientes contribuem para a redução da sobrecarga no hospital que está lotado com os casos mais graves da dengue e de outras doenças.

O médico Ruy Quintela afirma que dentro da atual epidemia de dengue que o Brasil enfrenta, são necessárias algumas recomendações. Ele afirmou que o Hospital Municipal está sobrecarregado com mais de 200 atendimentos diários com pacientes com suspeita de dengue. “A dengue tem sintomas fáceis de identificar. Um deles é a dor de cabeça, principalmente em volta dos olhos ou dentro dos olhos, ânsia de vômito, mal estar e principalmente estado febril. Para a febre, recomendamos que se tome Paracetamol ou Dipirona, sendo que as crianças tem que tomar em gotas na dosagem que o pediatra indicar. Para ânsia de vômito, Plasil. E principalmente o soro. O segredo é hidratar bem. A pessoa com dengue precisa ser reidratada com, no mínimo, 2 litros de soro ou isotônico por dia”, destaca ele.

Quintela destaca que existem críticas equivocadas quanto ao atendimento no hospital. “Tem gente que tem reclamado que no hospital nem soro caseiro tem. É óbvio que não tem. O nome do soro já diz ‘caseiro’, ou seja, feito em casa. Um litro de água fervida ou filtrada, uma colher de sopa de açúcar e uma colher de café de sal. Mistura bem e toma dois litros por dia”, explica o médico.

Segundo ele, a população deve procurar as unidades básicas de saúde e não o hospital para não sobrecarregar ainda mais o hospital. “Quem puder fazer o tratamento em sua própria casa, sendo que o repouso é fundamental, vai colaborar muito com o bom andamento da saúde municipal”.

Recomendamos para você

Comentários

Assinar
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
0
Queremos sua opinião! Deixe um comentário.x