23 de Junho de 2024

Dólar

Euro

Cidades

Jornal Primeira Página > Notícias > Cidades > Problemas não resolvidos deixam população descontente

Problemas não resolvidos deixam população descontente

03/04/2013 12h37 - Atualizado há 11 anos Publicado por: Redação
Problemas não resolvidos deixam população descontente

 

As reclamações de moradores continuam contra os problemas e abandonos recorrentes da cidade e que não são resolvidos pela gestão pública municipal. As mesmas demandas permanecem sem solução e muitas vezes sem prazo para isso.

 

É o caso dos diversos buracos que continuam surgindo pelas vias públicas da cidade que comprometem a locomoção veículos e pedestres. Andando pelas ruas é possível verificar a má conservação do asfalto e sua precariedade após as constantes chuvas dos últimos meses.

Mesmo na estação de outono, as pancadas de chuvas de moderadas a fortes são esperadas para qualquer momento do dia, podendo surpreender e complicar ainda mais os casos de riscos.

No cruzamento das ruas Dona Alexandrina e Santa Cruz, uma pequena valeta feita para o escoamento das águas pluviais está se tornando aos poucos um buraco perigoso para motoristas que correm o risco de terem seus veículos danificados ao passar pelo local.

Outro ponto crítico está localizado no pontilhão da Travessa 8, na Vila Prado, onde um buraco aberto está requerendo maior atenção dos motoristas ao trafegarem no sentido Vila Prado a Lagoa Serena, deixando a passagem com mais riscos de acidentes.

O trecho da rua Geminiano Costa, que desabou após uma forte chuva que caiu no início de fevereiro, continua sem solução e com o trânsito desviado na rua Dom Pedro II; nos horários de pico, o risco de acidentes aumenta junto com a irritação dos motoristas.

Para a solução do problema foi previsto pela Prefeitura Municipal um estudo sobre a área e a abertura de licitação para uma empresa especializada, porém sem prazo para a conclusão.

Outro caso mais grave e que ainda aguarda solução definitiva é o desabamento do muro de arrimo e grande parte do asfalto da rua Luiz Inácio Lula da Silva, que foi asfaltada no final do ano passado pela antiga administração. O local já passou por reformas anteriormente após apresentar os mesmos problemas atuais.

Porém, em janeiro deste ano, a situação se agravou, quando ocorreu primeiro o desmoronamento do muro de arrimo que sustentava o terreno ao lado do córrego. Após está ocorrência e a falta de medidas para a recuperação, o restante do terreno veio a ceder e a invadir a via pública que ficou com rachaduras e bloqueada para o trânsito.

A dona de casa, Sandra Brunelli Benedito, que mora ao lado do problema, disse que já foram feitas diversas reclamações e que até um requerimento de laudo da Defesa Civil foi protocolado na Prefeitura para certificar-se do perigo que a casa corre com as rachaduras do terreno que já atingem o muro.

“Há três meses espero uma resposta da administração pública que vem tratando o problema com muito descaso e deixando a situação se agravar mais; a cada chuva forte, aumentam os riscos de tudo desabar”, desabafa Benedito.

Outra obra realizada e que espera finalização é uma suposta pista de saúde no bairro Jockey Clube. A obra que foi realizada no final do ano passado não tem as devidas estruturas para o uso, pois no local não há iluminação e limpeza do terreno, na área há apenas um passeio circular feito com bloquetes, em meio ao mato alto.

Algumas pessoas até se arriscam em caminhar no final da tarde, porém logo desiste em continuar a atividade sem segurança. Os moradores do bairro pedem melhorias no espaço para ter mais utilidade para uso.

 

Recomendamos para você

Comentários

Assinar
Notificar de
guest
5 Comentários
Mais antigas
Mais novos Mais Votados
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
J. Ducell
J. Ducell
11 anos atrás

Esse caso da rua Geminiano Costa é um assombro!! É de uma incompetência incomensurável do prefeito e do secretário responsável. Vão esperar o que? As casas da rua começarem a ruir? Uma nova chuva forte para arrebentar mais alguns quarteirões? Outra coisa, quando se passa na marginal em frente ao SESC, percebe-se o desmoronamento das laterais do córrego. A empresa que canalizou o trecho, “esqueceu-se” de gramar boa parte das laterais, e NINGUÉM COBRA O TÉRMINO DOS SERVIÇOS!! Em breve teremos o comprometimento do asfalto das marginais neste trecho, aguardemos alguém se ferir ou morrer para vermos que medidas serão tomadas. A única certeza que tenho: a continuar neste ritmo, o Sr. Altomano será obrigado a retornar as suas funções originais em suas empresas, porque dificilmente conseguirá se reeleger. O meu voto como certeza já perdeu.

mano
mano
11 anos atrás

Outra tragédia anunciada, na rua 7 de setembro ao lado de uma loterica tem varias casas caindo, demoliram parcialmente e deixaram a parede da frente escorada por caibros, gozado que o local é cerca de 50 metros da camara municipal e ninguem se manifesta, nem na camara,nem da defesa civil, muito menos da prefeitura,

LEITOR
LEITOR
11 anos atrás

CONCORDO COM O LEITOR MANO, ACHO QUE É DEVER DESSE JORNAL FAZER UMA REPORTAGEM DO LOCAL E FOTOGRAFAR, E ALERTAR AS AUTORIDADES COMPETENTES PELO PERIGO QUE O LOCAL OFERECE, ISSO TUDO PRÁ NÃO DIZER DO ABANDONO DO LOCAL EL PLENO CENTRO DA CIDADE. VERGONHOSO PARA NOSSA CIDADE, UM BELO CARTÃO POSTAL, MOSTRA COMO A CIDADE ESTÁ ABANDONADA.

para Mano e Leitor
para Mano e Leitor
11 anos atrás

Essa caso da Rua Sete de Setembro está sendo sim acompanhado pela prefeitura e Justiça. Os tapumes e escoramentos fazem parte de um sem número de exigências da Justiça para os proprietários.

leitor
leitor
11 anos atrás

Acredito que as medidas exigidas são apenas paliativas, alem de insuficientes, porque em caso de vento ou chuva forte esse caibro ,não segura nada,e os tapumes de cerca de 2 metros não servem para nada, uma vez que o casarão tem pé direito de mais de 10 metros.

0
Queremos sua opinião! Deixe um comentário.x