17 de Abril de 2024

Dólar

Euro

Cidades

Jornal Primeira Página > Notícias > Cidades > Professores reivindicam segurança em escola municipal

Professores reivindicam segurança em escola municipal

04/06/2013 11h00 - Atualizado há 11 anos Publicado por: Redação
Professores reivindicam segurança em escola municipal

No início da tarde desta segunda-feira, 3, a redação do Primeira Página recebeu, em forma de denúncia, uma carta destinada aos pais dos alunos da escola municipal de ensino infantil Maria Consuelo Brandão Tolentino, que fica no bairro Antenor Garcia, que comunicava às famílias a suspensão das aulas desta terça-feira, 4, na escola, como forma de reivindicar melhores condições de trabalho e melhores condições de atendimento para as crianças.

 

A reportagem procurou a diretora da instituição de ensino para repercutir o fato. Entretanto, não foi recebida pela direção da escola que afirmou que a assessoria de imprensa da prefeitura e o secretário de Educação, Carlos Alberto Andreucci, iriam se pronunciar em nota.

Na carta, professores elencam oito itens que relacionam desde a implementação da Lei do Piso à presença dos guardas municipais nos horários de entrada e saída das escolas, a fim de garantir maior segurança para as crianças, pais e professores.

Os funcionários da escola foram vítimas de um ataque de vandalismo de um suposto pai de aluno que depredou cerca de 10 carros na quarta-feira da semana passada. Segundo o boletim de ocorrência da Polícia Militar, o homem alegou que foi buscar o filho e a direção da escola não entregou. No documento, contudo, ficou provado que o filho do agressor não estava matriculado na escola. O boletim também mencionou que o agressor estava comprovadamente alcoolizado.

A carta enviada aos pais dos alunos lista, entre outras questões, a deficiência do material pedagógico nas escolas, que não chega em quantidade suficiente para a atividades cotidianas e adequados para a faixa etária atendida pela instituição. Elenca também a necessidade de formação para todos os professores sobre como lidar com situações delicadas como pais bêbados ou drogados, pais em disputa judicial, crianças na escola depois do horário.

 

PREFEITURA – Em nota, a Secretaria Municipal de Educação informou que esteve, durante a tarde, em conversa com os professores das escolas municipais do Cidade Aracy e Antenor Garcia e com representantes do Sindspam (Sindicato dos Servidores Públicos e Autárquicos municipais de São Carlos), que anunciaram a iminente paralisação das atividades.

Os professores comunicaram que a decisão final seria deliberada em reuniões realizadas nas escolas no início da noite (ontem), durante período de Horário de Trabalho Pedagógico Coletivo.

Até o final dessa edição, a reportagem do Primeira Página não conseguiu obter o resultado da reunião.

Recomendamos para você

Comentários

Assinar
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
0
Queremos sua opinião! Deixe um comentário.x