15 de Abril de 2024

Dólar

Euro

Cidades

Jornal Primeira Página > Notícias > Cidades > São Carlos não corre risco de racionamento

São Carlos não corre risco de racionamento

25/08/2012 15h58 - Atualizado há 12 anos Publicado por: Redação
São Carlos não corre risco de racionamento

Com as altas temperaturas e o tempo seco, por causa da baixa umidade do ar, é comum as pessoas consumirem mais água. Sejam nos banhos, para se hidratarem ou manterem a casa mais limpa.

De acordo com o Serviço de Autônomo de Água e Esgoto (Saae) de São Carlos o aumento de consumo chegou a 15%, os altos índices são registrados normalmente aos domingos, segundas e sextas-feiras, e sábados.

Com esse aumento e a falta de chuva decorrendo pelo período de inverno, também comum que os reservatórios da cidade fiquem com os níveis baixos, os mais críticos são da Vila Nery e os dos bairros Rui Barbosa e Cidade Aracy.

Segundo o presidente do Saae Benedito Carlos Marchezim, os níveis dos reservatórios da Vila Nery estão muito baixos, porém, estão sendo abastecidos. “A água está sendo distribuída, mas não consegue ser armazenada em grande volume, pois não há tempo hábil para pressurizar as redes”, diz Marchezin.

Mesmo com o problema de armazenamento de água, o presidente garante que há riscos de racionamento nas residências, e que o Saae nunca precisou se utilizar do método para combater o baixo nível dos reservatórios.

O nível de segurança que um reservatório pode ter depende do volume de reserva, no caso do sistema da Vila Nery o limite estabelecido pelo Saae como seguro para haver falhas no abastecimento é entre 2 e 4 metros de altura. Atualmente o nível está 1,11m.

Por causa do baixo nível atingido muitos bairros da cidade vêm sofrendo com a falta de água frequente e em horários críticos.

A moradora do bairro Jacobucci, Vilma aparecida Fernandes de Souza de 48 anos, residente na rua Antônio Rogano, diz que aproximadamente há dois meses é comum faltar água diariamente em sua residência, no período das 16h até altas horas da madrugada. “A falta de água começa no final da tarde todos os dias. Os vizinhos que possuem caixa d`água conseguem contornar a situação por mais tempo, agora quem recebe a água direto da rua, passa por apuros”, comenta Souza.

Com a falta de água constante, os transtornos são diários. “Ficamos sem água para o banho, para descargas no vaso sanitário e para limpeza da casa. Temos que comprar galões de água mineral para beber e preparar a comida”, ressalta Vilma.

De acordo Marchezin o problema de abastecimento do bairro Jacobucci vem justamente da decorrência do baixo nível dos reservatórios da Vila Nery. “Minha expectativa é que na próxima semana os níveis dos reservatórios voltem ao normal”, diz o presidente.

Para que a situação não piore o Saae pede a colaboração de todos para que tentem economizar ao máximo o consumo de água nas residências.

 

Problemas na adutora – Na madrugada de sexta-feira, 24, uma adultora na Rua Marechal Deodoro rompeu causando o interrompimento no abastecimento de água em diversos bairros da região e no Centro.

“Quanto à causa do rompimento da adutora, isso pode ocorrer a qualquer momento, pois é uma tubulação que trabalha sobre pressão. O reparo consistiu no corte de aproximadamente três metros de tubo e substituído por outro tubo de mesmo material, ferro fundido de 350 mm de diâmetro”, explica Marchezin.

Por volta das 11h30 do mesmo dia o conserto foi finalizado pelo Saae que acionou imediatamente as três bombas da Estação Elevatória Intermediária, na região do Rui Barbosa, para os reservatórios enterrados da região da Vila Nery. No começo da tarde as residências já estavam com o abastecimento regularizado.

Recomendamos para você

Comentários

Assinar
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
0
Queremos sua opinião! Deixe um comentário.x