5 de Março de 2024

Dólar

Euro

Cultura

Jornal Primeira Página > Notícias > Cultura > Edital de Intercâmbio Cultural beneficia 130 pessoas para difusão de trabalhos

Edital de Intercâmbio Cultural beneficia 130 pessoas para difusão de trabalhos

As inscrições continuam abertas; Próxima seleção está marcada para dezembro deste ano

30/11/2023 08h45 - Atualizado há 3 meses Publicado por: Redação
Edital de Intercâmbio Cultural beneficia 130 pessoas para difusão de trabalhos Foto: Guilherme Andara

Ministério da Cultura (MinC) publicou na quinta-feira (23) o resultado final da seleção do Edital Programa de Intercâmbio Cultural MinC nº 1. Foram selecionadas 130 pessoas, entre grupos e indivíduos, de todas as regiões do país, para participar de eventos fora de suas localidades, contribuindo para a difusão cultural e artística em âmbito nacional e internacional.

Julia Furia, coordenadora-Geral de Transferências Voluntárias, da Diretoria de Fomento Direto do MinC, diz que a participação foi significativa neste primeiro período de inscrições. “Ficamos muito satisfeitos em saber que o Programa de Intercâmbio Cultural foi bem recebido pelo público”.

“O Programa segue com as inscrições abertas, que, como sempre falamos, é de caráter contínuo, ou seja, não se encerram. Esperamos que na próxima reunião da Comissão de Avaliação e Seleção, marcada para dezembro de 2023, possamos ampliar ainda mais o número de beneficiários para apresentarem trabalhos próprios em eventos diversos, tanto no Brasil quanto no exterior”, comenta Júlia.

O maestro e violonista Eduardo Martinelli, de Campo Grande (MS), foi um dos contemplados. Ele fará com seu grupo Brasil Opus Música dois concertos em fevereiro de 2024, nas Universidade Autônoma de Barcelona e Universidade de Barcelona, na Espanha, por ocasião da exposição Alfonso X e Galícia.

“Ser contemplado neste edital traz pra gente um sentimento de satisfação e alegria muito grande, uma pelo fato da gente poder representar a cultura brasileira no exterior, ter esse grande auxílio para que isso aconteça e ainda mais a cultura de uma região do Brasil que é menos favorecida de um modo geral na difusão, que é a região Centro-Oeste. No estado de Mato Grosso do Sul, nós temos muito mais dificuldade para poder difundir e circular os nossos produtos culturais do que outras regiões do Brasil, então esse edital é um mecanismo muito importante para a democratização da difusão cultural no nosso país”, avalia o agraciado pelo edital.

No repertório, serão levadas músicas brasileiras de nomes consagrados como Pixinguinha e Guerra Peixe; obras regionais e fronteiriças como Che Trompo Araça, de Hermínio Gimenez, Chalana de Mário Zan e Trem do Pantanal, de Almir Sater e Paulo Simões. Além disso, os músicos foram convidados para a gravação de uma faixa musical na gravadora Columna, da Espanha, sobre romances hispânicos (português, espanhol e catalão), do professor Antoni Rossel, membro da equipe atual do projeto de investigação da Universitat Autònoma de Barcelona: Humanismos ibéricos.

Elisa Maia é cantora e produtora cultural em Manaus, Amazonas, e foi selecionada no edital por meio da ação afirmativa de cotas raciais. Com destino também Amazônico, ela irá para a 11ª edição do Festival Psica, que acontecerá entre os dias 15 e 17 de dezembro de 2023, em Belém, no Pará.

“Sempre trabalhamos o intercâmbio de saberes, na própria Amazônia, é caro circular na Amazônia então precisamos fazer um esforço anualmente. Essa ajuda de custo que vem do Intercâmbio, me ajuda não só a me manter lá, como fazer essa fruição de produtos artísticos e de conhecimento na própria Amazônia porque é um grande desafio fazer isso acontecer. O edital de Intercâmbio garante que artistas negras e negros, indígenas, da Amazônia e da Amazônia legal, consigam fazer essa circulação no território. Não há desenvolvimento da cultura sem diminuição das desigualdades sociais e ela passa por medidas de inclusão”.

“Irei para o Psica para participar de uma atividade de formação, que é um inetrcâmbio entre produtores negros do Brasil inteiro, e também compartilhar esse conhecimento como produtora e artista, porque o artista na Amazônia ele é também a pessoa que levanta o palco dele, tô nessa luta porque também tive que criar palcos para mim mesma”, conta a artista, que desenvolve o trabalho no campo da música há mais de 20 anos.

As ações afirmativas são um diferencial do edital, que tem critérios diferenciados de pontuação (bonificação) para propostas que tenham como protagonistas ou lideranças mulheres (cis e trans), idosos, indivíduos ou grupos de cultura urbana, pessoas LGBTQIAP+; bem como as propostas direcionadas a beneficiar pessoas de localidades periféricas ou destas originadas.

 

Recomendamos para você

Comentários

Assinar
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
0
Queremos sua opinião! Deixe um comentário.x