23 de Maio de 2024

Dólar

Euro

Economia

Jornal Primeira Página > Notícias > Economia > Encomendas dos EUA têm maior queda em 3 anos

Encomendas dos EUA têm maior queda em 3 anos

02/05/2012 17h56 - Atualizado há 12 anos Publicado por: Redação
Encomendas dos EUA têm maior queda em 3 anos

As novas encomendas de bens às indústrias dos Estados Unidos registraram em março a maior queda em três anos, uma vez que a demanda por equipamento de transportes e de uma série de outros produtos recuou, mostraram dados do governo nesta quarta-feira, 2.

 

O Departamento do Comércio informou que as encomendas para bens manufaturados recuaram 1,5% após uma alta revisada de 1,1% em fevereiro.

Economistas haviam previsto uma queda de 1,6% após alta em fevereiro previamente reportada de 1,3%.

Apesar de a pesquisa mostrar amplo enfraquecimento em março em um setor que carregou a recuperação da economia, evidências sugerem que as fábricas continuaram a expandir assim que o segundo trimestre começou.

O índice de atividade manufatureira nacional do Instituto de Gerenciamento de Fornecimento subiu para a máxima de 10 meses em abril, com a medida de novas encomendas recebidas pelas fábricas chegando ao maior em um ano, mostraram dados na terça-feira.

O Departamento do Comércio mostrou que os pedidos para equipamentos de transporte tombaram 12,6 por cento em março com encomendas mais fracas para aviões civis. Pedidos para veículos motores e peças ficou estável em março, após subir 1% em fevereiro.

As vendas de automóveis aumentaram mais cedo neste ano, refletindo uma demanda reprimida das famílias após a devastação do terremoto e tsunami no Japão causar interrupções na produção em 2011 e deixar concessionárias sem modelos que consumidores queriam comprar.

Dados da indústria na terça-feira mostraram que as vendas de veículos aumentaram em uma taxa anual de 14,4 milhões de unidades em abril, depois de subirem a uma taxa de 14,3 milhões de unidades em março, sugerindo fortalecimento fundamental no setor.

Vendas fortes de veículos impulsionaram os gastos do consumidor no primeiro trimestre e contribuíram significativamente para o crescimento de 2,2% da economia durante o período.

As encomendas à indústria excluindo transportes ficaram estáveis em março, após subirem 1 por cento no mês anterior.

 

 

Recomendamos para você

Comentários

Assinar
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
0
Queremos sua opinião! Deixe um comentário.x