25 de Fevereiro de 2024

Dólar

Euro

Economia

Jornal Primeira Página > Notícias > Economia > São Carlos gera 4.472 vagas em 10 anos

São Carlos gera 4.472 vagas em 10 anos

De acordo com dados da RAIS, ‘Capital da Tecnologia’ teve ampliação do estoque de empregos puxado por setores de serviços e comércio

11/12/2023 23h59 - Atualizado há 3 meses Publicado por: Redação
São Carlos gera 4.472 vagas em 10 anos Fernando Frazão/Agência Brasil

O estoque de empregos na economia de São Carlos saltou 5,7% em dez anos, com a geração 4.272 vagas.  O setor de prestação de serviços abriu, entre 2012 e 2021, em São Carlos, um total de 2.241 novos postos de trabalho, numa variação positiva de 8,1%. Outros setores também avançaram, como comércio, administração pública, agropecuária e serviços industriais de utilidade pública (veja tabela).

Os dados são da RAIS (Relação Anual de Informações Sociais) do Ministério do Trabalho e medem o estoque de empregos formais, ou seja, os que com registro em carteira e pagamento de direitos trabalhistas, como salário, férias, décimo-terceiro salário e etc. A fonte utilizada é a pesquisa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), do Governo Federal.

Por outro lado houve, na mesma década avaliada, uma redução de vagas no setor industrial, que fechou 55 vagas e registrou uma variação negativa de 0,3%.

Para o economista da Fecomercio (Federação do Comércio do Estado de São Paulo), Jaime Vasconcelos, o mercado de trabalho acompanha as mudanças e tendências do próprio crescimento econômico, seja de um município, estado ou federação. “O que ocorreu em São Carlos, onde houve um crescimento significativo do mercado de trabalho do setor de serviços em detrimento a uma estagnação dos empregos na indústria de transformação, é compatível ao próprio cenário do Estado de São Paulo e Brasil nos últimos dez anos. E olha que na economia paulista e nacional, dentre os oito principais setores econômicos, o setor de serviços também liderou o avanço do estoque ativo de trabalhadores entre 2012 e 2021, mas a indústria sofreu retração mais significativa de vagas ativas neste período. Em suma, o mercado de trabalho do setor de serviços cresce mais porque a participação do setor na economia avançou mais fortemente que outros.

No mesmo período, segundo a RAIS, o comércio são-carlense viu o seu estoque de empregos avançar em 1.258 postos de trabalho nos últimos dez anos. ”Este avanço significou um aumento de 8,6% do mercado de trabalho deste setor no município, sendo este um aumento proporcionalmente maior do que o visto no Estado de São Paulo e no país no mesmo período. Se o comércio avançou em empregabilidade, significa que a demanda de famílias e empresas da cidade se manteve em ascensão, algo salutar e desejável em uma economia tradicionalmente dinâmica e potente, como é de São Carlos”, destaca o economista.

Ele comenta que em São Carlos o setor de serviços é puxado pelo segmento educacional já que a cidade abriga campus de duas universidades públicas (USP e UFSCar), além de uma particular, a UNICEP e duas faculdades de tecnologia (SESI e FATEC). “Já o comércio pode ser destacado como um diferencial, dado que cresceu proporcionalmente mais na cidade que no país neste período. De toda forma, importante salientar que as tendências municiais, salvo por alguma característica de dependência setorial maior ou menor, dificilmente terá desempenhos tão distintos do país”, aponta Vasconcelos.

De acordo com o especialista, toda economia moderna passa por aumento de participação do setor de serviços em algum período. “Isso já ocorreu nos Estados Unidos, com a Europa e nos últimos 30 anos veio o momento dos países emergentes, como o Brasil. No nosso caso, a estabilização trazida pelo Plano Real e o fortalecimento da renda familiar com o avanço significativo do mercado de trabalho formal pós anos 2000 foram vitais para que isso ocorresse. Em verdade, atualmente o valor adicionado dos Serviços representa cerca de dois terços do PIB nacional e este avanço da participação do setor de serviços se dá, em resumo, por: Aumento da renda e poder de compra dos consumidores (que possibilitou mudança de hábitos e o acesso a novos produtos e serviços pela população), acesso mais facilitado ao crédito, maior urbanização do país, avanço tecnológico a setores chave da economia, aumento da escolaridade e expectativa de vida da população, bem como a criação de institutos facilitadores do empreendedorismo formal, como o Simples Nacional e a criação do Microempreendedor Individual-MEI” , explica Vasconcelos.

 

ESTOQUE DE EMPREGOS FORMAIS EM SÃO CARLOS ENTRE 2012 E 2021:

 

IBGE SETOR                       2012                        2021            SALDO

 

Extrativa Mineral                          139                             87                    -52

Serv. Ind. de utilidade pública    709                       868                  +55

Construção civil                  3.106                                2.663             -443

Comércio                              14.694                             15.592          +1.258

Serviços                                 30.274                            32.715           +2.441

Admin. Pública                      4.016                            4.428               +412

Agropecuária                          2.350                              2.902               +552

 

TOTAL                                 75.243                       79.515            4.272

Recomendamos para você

Comentários

Assinar
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
0
Queremos sua opinião! Deixe um comentário.x