16 de Junho de 2024

Dólar

Euro

Internacionais

Jornal Primeira Página > Notícias > Internacionais > Taxa de natalidade atinge mínima recorde em 2023, com queda também nos matrimônios

Taxa de natalidade atinge mínima recorde em 2023, com queda também nos matrimônios

Uma autoridade descreveu o quadro como crítico e pediu um esforço oficial para reverter a tendência

06/06/2024 13h00 - Atualizado há 1 semana Publicado por: Redação
Taxa de natalidade atinge mínima recorde em 2023, com queda também nos matrimônios Foto – Arte – JornalPP

Reportagem – Estadão Conteúdo

A taxa de natalidade no Japão atingiu mínima recorde pelo oitavo ano consecutivo em 2023, segundo dados divulgados na quarta-feira, 5, pelo Ministério da Saúde. Uma autoridade descreveu o quadro como crítico e pediu um esforço oficial para reverter a tendência.

Segundo as estatísticas mais recentes, a taxa de fertilidade japonesa ficou em 1,2 no ano passado. Os 727.277 bebês nascidos no país em 2023 representam uma queda de 5,6% ante o ano anterior, o nível mais fraco desde o início da série histórica, em 1899.

Outros dados mostram que o número de casamentos caiu 6%, a 474 717, no ano passado, o que segundo autoridades é uma razão crucial para o recuo da taxa de natalidade. Na sociedade predominantemente tradicional japonesa, nascimentos fora do matrimônio são raros, com grande peso para valores familiares.

Secretário-chefe do gabinete, Yoshimasa Hayashi disse a repórteres que a situação é “crítica” e disse que os próximos seis anos, até 2030, serão “a última chance para possivelmente reverter a tendência”.

Hayashi disse que a instabilidade econômica, dificuldades de equilibrar o trabalho e a criação dos filhos e outros fatores complexos são as razões principais pelas quais os jovens têm dificuldade em decidir casar ou ter filhos.

O Parlamento japonês aprovou também nesta quarta-feira uma revisão em leis para elevar o apoio financeiro a pais com crianças ou para aqueles que esperam bebês, bem como para ampliar o acesso a serviços de cuidado para as crianças e expandir benefícios da licença para os pais.

O governo destinou 5,3 trilhões de ienes (US$ 34 bilhões) do orçamento de 2024 para essa finalidade e deve destinar 3,6 trilhões de ienes (US$ 23 bilhões) em receita tributária anualmente ao longo dos próximos três anos.

Especialistas dizem que as medidas são em grande medida voltadas a casais que planejam ou já têm filhos, mas não lidam com o crescente número de jovens relutantes em casar.

A população japonesa, de mais de 125 milhões, deve recuar cerca de 30%, a 87 milhões, até 2070, com quatro em cada dez pessoas com 65 anos ou mais.

Recomendamos para você

Comentários

Assinar
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
0
Queremos sua opinião! Deixe um comentário.x