29 de Fevereiro de 2024

Dólar

Euro

Matheus Wada Santos

Jornal Primeira Página > Notícias > Matheus Wada Santos > Relacionamentos tóxicos e abusivos

Relacionamentos tóxicos e abusivos

Todo conteúdo de informações e imagens aqui publicados, quanto as suas origens, são de responsabilidade do colunista

03/12/2023 07h01 - Atualizado há 3 meses Publicado por: Redação
Relacionamentos tóxicos e abusivos

Na coluna desta semana conversaremos um pouco sobre relacionamentos disfuncionais, sejam esses de amizade, familiares ou amorosos. Ou seja: os relacionamentos tóxicos ou abusivos.

Em um relacionamento tóxico não há necessariamente a intencionalidade de se fazer mal ao próximo, porém, há um desequilíbrio na relação, causado por questões de uma pessoa que acabam por afetar o outro, deixando esse outro desprotegido, fragilizado e até mesmo sendo manipulado nas situações para benefício do primeiro.

No relacionamento abusivo, por outro lado, a gravidade é maior, pois há a intencionalidade de se fazer um mal a esse outro. Há o desejo de satisfazer a si, em vez da busca pela saúde e bem estar da dupla ou grupo; e esse desejo é satisfeito de maneiras que acabam por ser violentas, como: com violências psicológicas, físicas e até sexuais.

Esses tipos de relação, tóxica ou abusiva, podem demorar muito tempo para serem percebidas. Mas, com o passar do tempo, é possível ver as atitudes de uma pessoa irem mudando, de forma lenta, contínua e crescente. Até que se tornem sintomáticas ao relacionamento.

E alguns sintomas desses modelos de relacionamentos são: controle de vestimentas por um dos parceiros; interferir em relações com terceiros (exigindo que elas sejam extintas); tentativa de controle de atividades online; buscar diminuir o parceiro(a) em locais públicos e na frente de amigos; ressaltar apenas características negativas; distorcer fatos; uso de agressões verbais, emocionais, físicas e sexuais; e a pessoa se colocar como a única capaz de amar o parceiro que é criticado a todo momento.

Quando há essa tomada de consciência pela vítima, a terapia se faz grande aliada daqueles que buscam sair desses relacionamentos, pois, entre as consequências mais comuns das pessoas que estão na lógica desses modelos não saudáveis, nós temos a autoculpabilização, a ansiedade e a depressão.

Nesse sentido, a terapia ajuda no autoconhecimento, retomada de autoestima, o trabalho de questões ansiosas e depressivas e a recriar redes de apoio, por exemplo. Além de ajudar no maior reconhecimento dos fatos que tornaram o relacionamento tóxico ou abusivo para que esses modelos não sejam repetidos em relacionamentos futuros.

 

Matheus Wada Santos

CRP 06/168009

@psi_matheuswada

(16)99629-6663

[email protected]

Recomendamos para você

Comentários

Assinar
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
0
Queremos sua opinião! Deixe um comentário.x