26 de Maio de 2024

Dólar

Euro

Matheus Wada Santos

Jornal Primeira Página > Notícias > Matheus Wada Santos > Setembro Amarelo

Setembro Amarelo

Quando se leva a discussão para escolas de ensino fundamental até o médio, os alunos se demonstram interessados

10/09/2023 05h52 - Atualizado há 9 meses Publicado por: Redação
Setembro Amarelo

Entrando no mês de setembro se faz importante a discussão da campanha do “Setembro Amarelo”, que é a campanha de valorização da vida e da prevenção ao suicídio; e que teve seu início no Brasil em 2015.

A discussão sobre a saúde mental é muito importante, pois, segundo pesquisas, cerca de 86% dos brasileiros sofrem com alguma doença mental. Em casos como o da depressão, que pode muitas vezes levar a ideações suicidas, muitos dos sintomas dificultam que o indivíduo busque por ajuda.

Pesquisas mostram que o número de suicídios cresce anualmente no país. Em 2021 houve 14.475 suicídios no país, com aumento de 11,8% de 2021 para 2022. O tema é uma preocupação entre a parcela mais jovem da sociedade, muitas vezes considerado tabu, a questão precisa ser endereçada para que através da informação, conscientização e acolhimento possamos ajudar quem está sofrendo.

Quando se leva a discussão para escolas de ensino fundamental até o médio, os alunos se demonstram interessados. Mas, ao mesmo tempo, perguntam do porque os assuntos só são conversados em sala durante o mês de setembro.

Além disso, comumente, são trazidas queixas relacionadas a bullying; empatia; como acolher alguém em sofrimento e não moralizar esse momento; como lidar com as próprias emoções; responsabilidade afetiva; a agressividade como resposta a tristeza; culpa por não poder acolher o outro; como agem os remédios em casos de ansiedade e depressão; a hipocrisia da escola que promove o evento, mas não os faz sentir acolhidos; formas mais saudáveis de lidar com sofrimento.

Já quando a campanha é levada para pessoas mais velhas, algumas outras temáticas costumam aparecer. Dentre elas: bullying, suicídio, cutting (autolesão), dificuldade de se expressar; sintomas da depressão.

Tudo isso nos conta sobre o papel vital da conscientização, da permanência de políticas públicas e da ação de profissionais da saúde mental. Porque é a partir desses que o sujeito pode receber um tratamento humanizado para o seu sofrimento enquanto mantém suas liberdades.

É importantíssimo ressaltar que se você conhece alguém que está em sofrimento, busque ajuda profissional. Um psicólogo é um profissional especializado para fornecer ajuda nesse momento. E em casos de emergência é também possível ligar para ao CVV (Centro de Valorização a Vida) pelo número 188.

 

Psicólogo formado pela PUC-Campinas.

Psicanalista pós-graduado pela Mackenzie-SP.

Especializado em Psicanálise, Gênero e Sexualidade pelo Instituto Sedes Sapientiae.

Matheus Wada Santos

CRP 06/168009

@psi_matheuswada

(16)99629-6663

[email protected]

Recomendamos para você

Comentários

Assinar
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
0
Queremos sua opinião! Deixe um comentário.x