19 de Maio de 2024

Dólar

Euro

Política

Jornal Primeira Página > Notícias > Política > O futuro das crianças do Brasil em jogo

O futuro das crianças do Brasil em jogo

Erick Silva*

30/11/2021 09h54 - Atualizado há 2 anos Publicado por: Redação
O futuro das crianças do Brasil em jogo Foto: Arquivo Pessoal

Em agosto deste ano, retomei os textos nesse espaço do jornal Primeira Página e resgatei minha opinião de como o Brasil caminha no sentido da barbárie.

Quando me refiro à barbárie, exalto o retrocesso do processo de construção da civilização que vinha sendo construído no Brasil há décadas.

Mesmo devendo até em aspectos preconizados pela Declaração Universal dos Direitos Humanos, o Brasil avançava no sentido da democracia e da civilização, claramente orientado por uma visão progressista.

Hoje, lamentavelmente, ao invés de construirmos um país, um povo, que respeite todas as pessoas, que preserve os recursos naturais, que proteja as pessoas frente a riscos diversos, que invista na ciência, enfim, um país civilizado; caminhamos no sentido oposto, a barbárie!

Infelizmente em pouco tempo, meses na verdade, tenho mais certeza de que não há limite para determinados mandatários do nosso país que querem o Brasil como em algum momento anterior à lei áurea.

O que me reforça essa certeza é ler que a deputada Bia Kicis (PSL) requentou uma proposta de emenda constitucional que permite o trabalho de crianças a partir dos 14 anos, por incrível que pareça.

Primeiro e indiscutivelmente, pessoas de 14 anos são crianças, e desde muito tempo o mundo todo reconhece que não devem trabalhar pois atrapalha seu desenvolvimento, aliás, no Brasil devemos lutar e os governos devem criar dispositivos para fiscalizar e acabar com o trabalho infantil e análogo ao escravo, que é uma realidade cruel para milhares de pessoas.

Ao invés de fiscalizar e combater o trabalho infantil e análogo à escravo, pretendem legalizar, além disso o que a deputada e a bancada governista pretendem é precarizar ainda mais o trabalho, colocando os jovens como opção mais barata e “rentável” aos empregadores.

Avaliando a situação do trabalho no Brasil, temos mais de 14 milhões de pessoas desempregadas. Alguém acredita que deixar crianças livres para serem exploradas pelo mercado irá ajudar em algo?

Que tal fato seja repudiado por toda a sociedade, que o Congresso Nacional mais uma vez repudie tais propostas espúrias, bem como seus autores, em nome do futuro do Brasil.


*Erick Silva – Sociólogo / Mestrado em Políticas Públicas. 

Recomendamos para você

Comentários

Assinar
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
0
Queremos sua opinião! Deixe um comentário.x